CERTO OU ERRADO

Caros amigos vascaínos,

Estamos presenciando muita confusão, muita bobagem escrita e muito sentimentalismo amador, onde haveria de ter discussão profissional!

Está certo que a torcida se manifeste por razões do coração e está em todo o seu direito, porém quando os dirigentes e profissionais do ramo começam a enveredar por este caminho a coisa está mal parada.

Criticar o Romário apenas pelo affair da saída do seu filho do Vasco e discutir se coloca ou não coloca estátua no lugar é de uma falta do que fazer imensa.

Mais uma vez o certo está errado e o errado está certo no Vasco, tudo isto graças ao amadorismo de seus dirigentes.

Os problemas entre o Romário e o Roberto nasceram desde 1986, por pura inveja do veterano artilheiro, após uma final de TÇ Guanabara, onde ganhamos por dois a zero. Romário disputava sua primeira final pelo profissional e marcava dois gols. Acontece que durante o jogo em um contrataque ao final da partida o jovem artilheiro “fomeou” e não passou a bola para Dinamite, perdendo o que seria o terceiro gol.

Este fato, pouco explorado na época, redundou em declarações pesadas do veterano ídolo contra o jovem artilheiro, se esquecendo de que o problema deveria ser discutido internamente e não pela imprensa e que ele deveria era estar comemorando uma conquista e não descendo o pau no companheiro!

O tempo passou as desavenças entre os dois eram mantidas em banho maria, até que o Eurico falou que iria fazer uma homenagem de perpetuar a camisa onze para o Romário e o Dinamite deu declarações criticando o Eurico! Depois disso vocês já sabem o que aconteceu com o episódio da barração da tribuna, que não foi ordenado pelo Eurico, mas que o próprio atribuiu para si a responsabilidade logo após, numa decisão pouco inteligente, como o futuro mostraria.

Estes foram os caldos de cultura desta briga atual onde os dois estão errados.

Dinamite está errado por ter colocado problemas ao desenvolvimento do filho do Romário, mesmo que involuntariamente por atitudes de puxa sacos da divisão  de base tempos atrás.

Romário está errado, por só falar agora dos problemas de maneira oportunista fazendo jus a sua nova função de deputado e mais errado ainda por tentar se aproveitar economicamente de uma confissão de dívida espúria, estranha e altamente duvidosa (pois não tem registros fiscais na contabilidade do Vasco), feita pelo Sr. Eurico Miranda!

Na minha maneira de ver a estátua foi um erro, pois deveria ser um busto ou uma área na sala de troféus do clube falando na efeméride, mas a decisão coube ao Big Boss e não ao Conselho Deliberativo ou outros poderes do clube.

Na verdade o erro foi a colocação da estátua lá no campo e um erro ainda maior a retirada dela agora, por motivos menores de fuxicos entre dois ex-atletas do Vasco!

Mais uma questão de certo e errado se impões no caso do Edmundo. A incrível incompetência desta diretoria, em faltando cerca de poucos meses para a dívida acabar, deixar de pagá-la e ter uma multa de 50% faz com que o ex-atleta entre na justiça novamente. Segundo o advogado do Edmundo a diretoria não atendia os telefonemas para um acordo e foi obrigado a entrar na justiça. Penso que uma ligação para o Edmundo e para o advogado dele resolve a questão e retira esta nova cobrança, desde que paguem o que lhe é devido!

Uma coisa a torcida deve entender: Se o atleta se diz ou não torcedor de clube pouco importa, estamos na era do profissionalismo e o que manda é o pagamento em dia!

Noventa e nove por cento das declarações de atletas na imprensa e para torcedores são falsas nestas histórias de amor ao clube! Quem trabalhou lá dentro sabe muito bem!

O grande problema é que os fatos se embaralham, as responsabilidades acabam sendo esquecidas e são estabelecidas discussões inócuas sobre se este ou aquele é mais vascaíno do que o outro!

Na verdade, os verdadeiros ídolos do clube são primeiramente produzidos pela mídia e logo após são chancelados ou não pela torcida! Quantos ídolos apareceram e logo após morreram para os clubes e torcidas como o vento leva a areia do deserto?

No certo e no errado do vai e vem das ondas do mar vascaíno, muitos ídolos foram fabricados e muitos pereceram, para somente alguns resistirem ao tempo e a história!

Porém, o Vasco sempre teve uma relação de amor e ódio com seus ídolos desde priscas eras. Não foi assim com Ademir quando se transferiu para o Flu? Romário e Edmundo quando foram para o IM? Com o Roberto quando se cogitou sua transferência do Barça para o IM, chegando a dar declarações gravadas de que seria muito feliz se viesse a jogar do lado do ídolo deles? Mesmo o sempre absolvido Juninho, quando chiou de ter de entrar em campo contra o São Caetano , não comemorou o gol que fez e no dia seguinte pediu o seu passe na justiça passou por problemas de rejeição momentânea!

Portanto, vamos nos concentrar em tentar tirar o Vasco do atoleiro em que se encontra, dirigido por pessoas, em sua maioria, obsoletas, incompetentes e ligadas sempre no que podem tirar do clube em promoção pessoal e não em trabalho eficiente para a agremiação!

Vamos deixar estas tolices de qual foi o maior ídolo, pois todos eles, em primeiro lugar visam, com toda a razão seus lucros!

Chega do certo ser errado, do errado ser o certo momentâneo. Vamos traçar o que queremos de orientação correta e daí para  frente fazer o certo sempre e não o que parece ser mais ou menos politicamente certo ou errado!

Saudações vascaínas

 

 

Sobre jolucave

Sou médico ortopedista , casado, carioca e vascaíno
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s