Os ensinamentos do futebol

Caros amigos vascaínos,
Há tempos estou sem escrever, mas agora realmente não dá para ficar mais tempo calado. Independente de possíveis armações contra o Vasco a realidade pura e simples está no fato de que estamos jogando fora pela janela um campeonato Nacional.
Se no início do afastamento do RG, o Cristóvão manteve o trabalho, penso que devemos parabeniza-lo pelo bom senso. Entretanto nas últimas rodadas o Cristóvão está abusando do direito de fazer mexidas sem nexo, modificando para pior o trabalho realizado pelo RG.
O futebol ensina, e é só observá-lo, não ser teimoso ou ter tendências para ser Prof. Pardal, que o desenvolvimento do trabalho se apresenta para o técnico, demonstrando as soluções para cada problema que aparece!
Lastimavelmente, estas lições gratuitas que o futebol está apresentando para o Cristóvão tem sido ignoradas e o treineiro iniciante insiste em escalações que o bom senso condena.
Vejamos a série de eventos que sustentam minha tese.
Desde a saída do Anderson, ficou claro que o Vasco não pode e não deve jogar com a mesma tática da Copa do Brasil (quando o time era mais ousado e deixava a defesa mais descoberta para poder atacar). Todos os reservas do Anderson, incluindo o atual titular Renato Silva, são jogadores bem inferiores tecnicamente em relação ao que saiu e necessitam de proteção maior do meio de campo.
Dentro das condições citadas acima, fica claramente estampada a necessidade de se ter três jogadores de grande dinâmica (não só de marcação, mas também de ocupação de espaços ) no meio de campo.
Desta maneira, sempre que escalamos o Felipe e o Juninho juntos, eles se desgastam excessivamente em relação as suas possibilidades físicas e os perdemos no meio do segundo tempo.
Além disto, quando os dois estão juntos no meio de campo restam muitos espaços para o adversário e não conseguimos fazer pressão no campo inimigo, deixando nossa defesa desprotegida aos contra-ataques do lado esquerdo principalmente.
Foi assim contra o Atl-GO, onde o Felipe não jogou, mas o Juninho se escalou mesmo após ter ficado dez dias parado. Entramos com apenas dois cabeças de área , levamos o gol em bola pela esquerda da defesa (Julinho também foi escalado sem as melhores condições para suportar noventa minutos) e deixamos dois pontinhos em casa.
No jogo anterior contra o Grêmio, fizemos pressão o tempo inteiro e estávamos com três jogadores pegadores no meio de campo. O futebol ensinou , mas Cristóvão ignorou.
Veio o jogo contra o Cruzeiro, e uma jogada de acaso possibilitou mais uma vez ao Cristóvão escalar um time com três homens de marcação, o Juninho foi jogar livre para armar o time e o Diego Sousa jogou na frente (pois o Eder estava suspenso). Resultado foi um chocolate do Vasco e vitória por três a zero, no campo do adversário! Mais uma vez os deuses do futebol ensinaram o caminho para o Cristóvão, será que ele aprendeu?
Jogo seguinte de importância capital para o Vasco, contra o Corinthians em casa e o treineiro comete o mesmo erro do jogo com o Atl –GO. Escala somente dois marcadores no meio de campo e obriga o Juninho a correr na marcação. Mesmo saindo na frente, nunca conseguimos encurralar o adversário em seu campo e de uma má jogada do M. Careca, veio o contra-ataque na esquerda da defesa e gol do Corinthians. Permanecemos assim o jogo inteiro, saímos na frente de novo e no segundo tempo o Juninho sente dores e sai. Meio de campo completamente entregue e numa jogada pela esquerda da defesa sai o cruzamento e o gol do empate!
Depois disso vem o jogo contra o Inter, o Felipe é jogado as feras, voltando de contusão, sem ritmo de jogo e mesmo sendo dominado pelo adversário o Vasco foi prejudicado pela arbitragem, quando estava perdendo por um a zero, com a não marcação de um pênalti absurdo e logo no contra-ataque leva um gol contra do enrolado R. Silva.
Depois deste jogo, fomos ao Paraná jogar contra o Atl-PR, e o treineiro inventa de novo, com Felipe de lateral esquerdo. Logo nos primeiros minutos eles atacam pela esquerda da defesa, o R. Silva falha e sai o primeiro gol. Logo depois em bobeira do Fagner levamos o segundo. Estava clara a bobagem da escalação do Felipe na lateral esquerda. Graças ao eterno incompetente Antônio Lopes (que mais uma vez fez o time jogar covardemente recuando no segundo tempo), empatamos com dois gols do Elton!
Neste último jogo, mais uma vez o futebol ensinou e o Cristóvão não aprendeu, e ainda deu entrevistas dizendo que no segundo tempo esta escalação deu certo!!!!!!!!!!!!!!!!
Os treinamentos para o próximo jogo, contra o Bahia, fora de casa, mais uma vez confirmam a teimosia do Felipe de lateral, mas algumas coisas ocorreram que facilitaram a escalação do Vasco. Primeiro Elton fica febril e em virtude disto o Diego Sousa é adiantado para jogar na frente e segundo logo no início do jogo E. Costa (muito mal) se contunde e entra o Nilton. Iniciamos com o Felipe de lateral esquerdo, porém no meio do jogo ele abandona a lateral vai para o meio de campo, pela direita e faz um golaço! Olha o futebol ensinando mais uma vez!
No jogo com o Bahia, mais por vontade dos jogadores que trocaram suas posições e menos pelo trabalho de treinamento de semana, ficou mais uma vez comprovado que Felipe não pode ser escalado de lateral e que com três pegadores no meio de campo o Felipe ou o Juninho se desgastam menos e rendem mais! Este foi o recado do futebol para o Cristóvão! Aprendeu? Infelizmente para o Vasco, não!!!!!!!!!!!!
Durante a semana teve o jogo com o Aurora, uma verdadeira bagaça boliviana, ganhamos de oito a três, mesmo sem três marcadores no meio e parece isto foi o grande mal para o jogo com o SP, pois o treineiro, mais uma vez inventa, dá declarações que na reta final se tem de arriscar e pratica o mesmo erro de rodadas atrás, mandando um time torto, com Felipe de lateral, três pegadores no meio, mas entortados pela cobertura da esquerda e o Juninho no meio de campo, com dois homens de ataque .
Durante todo o jogo contra o SP não conseguimos encurralar o adversário, pois tinha sempre uma válvula de escape no contra-ataque, fornecida pelos erros de escalação!
O resultado foi um desgaste acima do normal do Felipe pela lateral, longe da armação das jogadas de ataque e do Juninho, tentando preencher o meio de campo, em que o Jumar se deslocava para cobrir a lateral esquerda. Pois bem, Juninho, sentiu a panturrilha, Felipe cansou e o Jumar sentiu a coxa!. Mais dois pontos perdidos para as invenções daquele que se recusa a ver a realidade e escalar o time com a lógica.
Outra coisa perturbante foi a declaração do Cristóvão depois do jogo, em que mudou o time no vestiário (sacando o Bernardo), pois a escalação do SP iria por o trabalho da semana por terra!!!!!!!!!!!!!!!! Que trabalho é este que teve de ser mudado no vestiário? Foi uma semana de treinos perdida? E por que durante o jogo, quando o Juninho saiu não colocou logo o Bernardo?
Caros amigos, não se trata de não gostar do Cristóvão, pois nem o conheço pessoalmente, mas os fatos descritos demonstram sem sombra de dúvida que ele puniu o Vasco com pelo menos seis pontos perdidos por tentar algo que a experiência anterior provou ser absolutamente errado!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
A experiência dos jogos passados demonstrou que o Vasco tem de entrar com o Felipe no meio, ajudado por três pegadores no meio de campo e com o Diego jogando na frente. O resto tem de girar em torno desta armação em campo e ponto final!
Espero que o Rodrigo Caetano, contratado a peso de ouro aja no sentido colocar as coisas no lugar e impedir mais invencionices, pois se não agir rapidamente vamos entregar este campeonato de mão beijada!

Outro fato muito importante é a questão de jogar ou não clássicos em SJ e o esclarecimento de boatos de acordos de jogar no Engenhão ou não.
Depois de tudo o que está sendo dito resta à diretoria vir a público dizer se assinou ou não o tal acordo para jogar no Engenhão! Se assinou, não restará outra saída se não jogar lá e aturar as consequências desta burrice, caso o time seja prejudicado.
Se não assinou, penso que os torcedores do Vasco devem entrar com liminar na justiça contra Defesa Civil, Bombeiros e PM exigindo deles um parecer técnico dizendo por que não jogar lá, ou em caso contrário dar o aceite oficial para ter o jogo em SJ, de maneira imediata, sem subterfúgios ou enrolações.
Se deixarmos em banho-maria, os entes que vem se comportando como incompetentes e preguiçosos na segurança pública, continuarão a não querer trabalhar para viabilizar o jogo em SJ! Resta saber porque o Governador e o Prefeito deixam o time pelo qual torcem ser impiedosamente maltratado por aqueles que deveriam se movimentar para trabalhar e viabilizar a segurança para os jogos em SJ!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

A propósito da última reunião do CD do Vasco, estranhei determinadas colocações de apoio à aprovação das contas desde que se aprovassem determinadas dívidas, pois as pessoas que assim propuseram e agiram foram as mesmas que meteram o pau nestas contas e até entraram na justiça contra a aprovação delas! Se estas pessoas realmente agiram pensando no clube, eu até entendo, mas a impressão final que ficou é que a proposta de paz teria um preço a ser pago, pena que o clube é que sofre depois!
A Cruzada Vascaína fiel aos seus preceitos emanou um parecer explicitando as causas de aprovar 2009 com ressalvas e desaprovar 2010, tudo embasado tecnicamente, sem a menor conotação política.
É um grande alívio nas previsões do horizonte vascaíno ter um grupo “pequeno”, “sem importância”, desprovido de cardeais, porém extremamente competente na função espinhosa de ser fiscal, como toda oposição deve ser, sem fazer politicalha dos seus votos.
Está claro que ninguém é unanimidade, e que não vamos agradar a todos, mas sem dúvida o caminho é este na tentativa de apurar o que não for claro e o que precisar de esclarecimentos para que mal entendidos futuros não prosperem!
O mais importante é que as pessoas que participam do CD vejam suas posições políticas e pessoais com menos rancor e mais discernimento, evitando embates inúteis de origem meramente pessoal! Enfim ser técnico quando necessário e político quando preciso, pois o ideal é ter vascaínos no CD e não inimigos se debatendo sem resultado prático para o clube!

Esperando que o milagre aconteça e que o Cristóvão seja iluminado pela razão e pela lógica,
Saudações vascaínas.

Sobre jolucave

Sou médico ortopedista , casado, carioca e vascaíno
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Os ensinamentos do futebol

  1. Mario Alves disse:

    Concordo com tudo que vc colocou aqui. Tb sou médico(pediatra),casado, carioca , vascaíno e AMIGO do Helio Rocha!!! (foi ele q me indicou vc).
    Saudações vascaínas!!!

    Mario Alves

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s