Tempo de definições

Caros amigos vascaínos,
Em todos os aspectos que envolvem o Vasco da Gama é chegado o tempo de definições. No aspecto político, se delineiam as candidaturas, e a organização das eleições começa a ser montada e espero sem as famosas liminares. No aspecto esportivo, principalmente no futebol, temos um novo recomeço, uma nova pré-temporada, e espero sinceramente que esta seja melhor aproveitada e que o time se apresente com pelo menos padrão de jogo e garranas disputas. No aspecto administrativo está pra lá de tarde que a área administrativa do clube se apresente moderna e com resultados palpáveis, pois todos estão cansados da maneira paquidérmica, lenta e sem rumo que caracterizou a administração Roberto Dinamite.

Para se ter uma ideia de como nosso clube decresceu em força nos últimos anos, a Rádio Globo, sem ninguém notar, pagou um micaço na transmissão do jogo Vasco x América, ao não mandar locutor ao estádio de jogo, indo apenas o repórter que cobre o clube. Alguns, como eu, já perceberam que é impossível acompanhar jogos do pay-per-view na TV desligando o som e ouvindo pelo rádio, pois a transmissão do PPV chega com 5 segundos de atraso. Desta maneira fiquei surpreso ao verificar que a transmissão da rádio globo estava certinha com o PPV, sem o atraso, porém o som que era fornecido pelo repórter que foi ao campo estava adiantado em relação ao próprio relato do locutor do jogo. Assim, nos gols a torcida gritava cerca de cinco segundos antes e o locutor, acompanhando a TV só relatava o gol depois. Depois dizem que ouvir a rádio globo “é como se estivesse a beira do gramado”!!!!!!!!!!!!! A narração deste jogo foi um tremendo geladão, como se diz na gíria da narração esportiva, pois o locutor não estava no estádio!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Deixando as amenidades de lado, estou esperando que pelo menos nesta próxima eleição do clube não haja guerra de liminares para que algum advogado fique famoso. Penso que se a comissão eleitoral tiver um mínimo de bom senso, pode se produzir um pleito limpo, transparente e justo. Queremos uma eleição para orgulho do sócio vascaíno e não para envergonhá-lo mais uma vez. Ganhe quem ganhar e que democraticamente seja respeitada a vontade das urnas na votação dos conselhos, posteriormente.
Até agora estão postos três candidaturas de maneira praticamente definida. Roberto, atual presidente, Horta representando o grupo de Eurico e cia., e José Henrique Coelho representando o antigo MUV. Existe ainda o grupo da Cruzada Vascaína que deverá apresentar candidato oficialmente.
Neste momento não importa a opinião do colunista sobre os candidatos, o que é importante para o clube, isto sim muito importante, é a apresentação de vários nomes dando aos associados a chance de escutar, investigar, decidir e votar naquele que achar o melhor e não apenas na velha fórmula de A x B.
Outro fator de importância capital nestas eleições é que as diversas correntes saiam do pleito com um Vasco mais forte e não com desavenças eleitorais que perdurarão e minarão a próxima diretoria, já a partir do primeiro dia de posse, enfraquecendo o clube e o tornando presa fácil dos inimigos externos.

Do ponto de vista administrativo já não é mais possível ver o Vasco ser administrado como se fosse uma repartição pública, lenta, paquidérmica e sem rumos.
Na justiça é um sem número de causas perdidas à revelia, comprometendo o orçamento do clube a todo o momento.
Na representação nas federações o Vasco nunca foi tão fraco e mal representado. Simples inscrições de atletas viram novelas e ninguém sabe o que faz e nem o que diz!
Na questão da infraestrutura vemos um time de futebol sem campo de treinamento há quase um ano, desde o despejo do Vasco-Barra, produzindo em consequência um gramado de SJ para jogos oficiais, em condições para lá de lamentáveis. Não há a menor desculpa possível para justificar que o Vasco não tenha um CT ao menos provisório. Lembro que a atual situação criticava a atual oposição, quando no poder, por dizer que o clube tinha banheiros limpinhos, cadeiras pintadas e etc. e atualmente está fazendo a mesma coisa (pintura nova e etc..).
Certa vez, recentemente, vi uma entrevista de um técnico famoso, já campeão brasileiro enumerando o que era indispensável para ser campeão: “Time bom, salário em dia, CT de treinamento em ordem, campo de jogo bom e poder na federação”. O problema é que atualmente não temos nada disso!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Na área esportiva muita coisa precisa ser feita o Vasco.
O Basquete praticamente morreu, o Remo está definhando e por aí vai.
No futebol espero que os rumos sejam corrigidos e que as lambanças no Departamento de Futebol acabem. Não concordo com o perfil do Vasco de hoje, centralizado em um empresário e em um supervisor (comandado pelo mesmo empresário). Nitidamente as decisões são empacadas, não há a devida celeridade para se resolver o que é importante.
Depois de perdermos toda uma pré-temporada, unicamente por inépcia da diretoria e da supervisão do futebol, que conseguiu deixar de ver o que até um cego veria, ou seja , não havia clima para o PC continuar com este elenco, tenta-se agora nova pré-temporada de dez dias para acertar a grande lambança realizada pelo Departamento de futebol.
Veio a contratação do Ricardo gomes, que aliás foi o único que aceitou e teve coragem de pegar este fio desencapado do time do Vasco, finalmente aconteceu a saída do CA19 e se conseguiu, penso eu, chegar a um acordo com o Felipe! São anunciadas contratações e espero sinceramente que venham, mas que funcionem.
Hoje o Vasco não pode mais errar ao trazer um grande nome para o elenco, não podemos aceitar mais ex-craques em atividade se arrastando em campo.
Somente como contribuição de um torcedor vascaíno, eu gostaria de relatar algumas observações:
a) Geralmente os jogadores que vem do exterior, salvando-se raríssimas exceções sofrem muito fisicamente nos primeiros seis meses da volta, por uma questão de clima, alimentação e tipo de treinamento. Já vi vários casos de jogadores assim, em que o clube não teve paciência e que estouraram a banca jogando bem no clube seguinte!
b) Devido ao item a, trazer tais jogadores no meio da competição, no meio do ano, vai acarretar problemas para a tática do time, problemas para o técnico, pois será pressionado a escalar um jogador caro em precárias condições acabando por desestabilizar um elenco!
c) A época ideal de trazer gente do exterior é no início do ano, pois o cara se recupera durante o fraco campeonato estadual e chega no Nacional bem!

Portanto, pensem bem antes de trazer alguém só para tentar ganhar uma eleição, numa jogada de marketing. Vejam os atletas que estão no clube e se o nome a ser contratado tem características de jogo que possam ser somadas e não trazer problemas táticos, pois caso contrário vão ter que contratar mais dez posteriormente!

Depois disto tudo só resta esperar e que venha realmente um craque para jogar no Vasco, mas alguém de seleção, de peso internacional e com gana de vencer, não precisamos de mais um rico jogador, jogando por jogar, sem se emprenhar em campo!

Sobre jolucave

Sou médico ortopedista , casado, carioca e vascaíno
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s